Alunos Facens desenvolvem projetos práticos mesmo com aulas remotas

 Alunos Facens desenvolvem projetos práticos mesmo com aulas remotas

Você já sabe que um dos maiores diferenciais do ensino da Facens é o mão na massa. Seja na engenharia, arquitetura ou tecnologia, o lema é aprender fazendo!

Durante o período de aulas virtuais ao vivo não foi diferente e os alunos puderam ter a experiência hands on em casa.

Para que tudo isso fosse possível, professores e alunos trabalharam juntos, encontraram as melhores soluções e, ao final do semestre, a mostra de projetos estava repleta de inovação e tecnologia.

Conheça agora alguns dos projetos apresentados pelos alunos de Engenharia da Computação, orientados pela professora André Breda Carneiro e professor Rafael da Paz.

Luva de Comando a curta distância

Desenvolvido pelos alunos Gabriela Miranda Domingues, Guilherme Santini Sforza, João Henrique de Freitas Queiroz, Lívia Sayuri Chinem Moreno e Rafael Resende Bevevino. 

Pessoas mudas são uma minoria linguística e que, muitas vezes, sentem dificuldade para se comunicar por não fazerem uso de seu aparelho fonador para fala ou qualquer manifestação vocal.

A comunicação acontece através de linguagem de sinais, a qual apenas uma parcela da população tem conhecimento.  

Visando melhorar a qualidade de vida dessas pessoas, cada vez mais têm-se projetos que empregam o uso de gestos com sensores.

Estes abrangem conceitos como IoT e giroscópio, que permitem a comunicação entre objeto e usuário e a identificar a posição de um objeto no espaço, respectivamente.  

O objetivo do projeto foi desenvolver uma luva com sensores que enviasse um sinal para abrir uma comporta quando os comandos estiverem certos. Uma tela composta por LEDs exibiria o progresso dos comandos.  

Apesar do projeto em questão não ser fundamentalmente voltado ao público de deficientes auditivos, os conceitos aprendidos podem ser reaproveitados para projetos destinados a esta minoria linguística. 

No projeto da luva de comando a curta distância o giroscópio e os sensores de resistência foram usados para verificar os gestos de comando, a luva enviará um sinal para o microcontrolador e caso os comandos estejam certos a comporta deve abrir e uma mensagem aparecer na tela de LED’s. 

Automação Residencial: Arduino integrado a um bot do Telegram

Desenvolvido pelos alunos Carlos Eduardo do Prado Silva, Gabriel Maciel Silvério, Geovanne Bueno Lopes, Marcelo Adriano de Moraes Júnior e Matheus Bernardo Frate. 

Verificar a temperatura, umidade, pressão do ar, entre outras grandezas do ambiente é uma tendência crescente e que ajuda no desenvolvimento de ambientes mais seguros e agradáveis, melhorando produtividade, entre outros. 

Com a expectativa do aumento das jornadas de trabalho no modelo home office, uma casa com o ambiente controlado pode evitar fatores que atrapalhariam a concentração em trabalho.

Estresse, possibilidade de adoecer por conta da variação de temperatura, água condensada nas paredes e estimulando a proliferação de mofo… inúmeras são as situações dentro de casa e que podem influenciar nossa saúde e bem-estar.

Deste modo, este projeto propõe a leitura de dados do ambiente, de forma constante, através de sensores. Um arduíno recebe esses dados e os mesmos são enviados para o aplicativo Telegram, no celular.

O objetivo deste estudo é implementar o sistema de monitoramento em um ambiente de pequena escala e doméstico, usando internet e de uma plataforma microcontralada de fácil manuseio e, por fim, o uso dos recursos de bot do Telegram.

E aí, gostou dos projetos?

5 1 voto
O que você achou?

Elis Marina Nunes

Apaixonada por natação, cultura pop, twitter e doguinhos! Elis é Jornalista e produtora de conteúdo, e reforça o time de Marketing da Facens.

Leia Também

Inscrever-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Todos os comentários
0
Adoraria seus pensamentos, por favor, comente.x
()
x